As "quatro modernizações" e o processo reformista chinês entre 1978 e 1992

uma análise estrutural

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/1806-9029.v33i2e54486

Palavras-chave:

China, Estado, Reformas, Quatro Modernizações

Resumo

O presente artigo intenta uma análise sobre a dinâmica interna do processo reformista chinês entre 1978 e 1992, período em que Deng Xiaoping esteve à frente do governo central na China. Para tanto, analisa-se como as reformas nos setores rural, industrial, ciência & tecnologia e bélico-militar ocorreram, em meio à estratégia das “quatro modernizações” empreendida pelo Estado.

Evidencia-se, ainda, os principais determinantes do sucesso das reformas nestes setores, e como seus resultados positivos contribuíram para a redução das graves mazelas sociais, como a pobreza, e o rompimento do isolamento internacional da economia chinesa.

Biografia do Autor

Luiz Fernando Mocelin Sperancete, PUC-SP e UNESP-Marília.

Membro-Pesquisador do Núcleo de Análise de Conjuntura Internacional da PUC-SP (NACI-PUC/SP).

Doutorando em Ciências Sociais na UNESP, linha de pesquisa: Relações Internacionais e Desenvolvimento.

Referências

CASTELLS, M. Fim de Milênio: a era da transformação: economia, sociedade e cultura, vol. 3, 2ª ed., tradução de Klauss Brandini Gerhardt e Roneide Venancio Majer. São Paulo, SP: Paz e Terra, 1999.

CHINA, P. R. Chinese Statistical Yearbook 2009. National Bureau of Statistics of China, 2009. Disponível em: <http://www.stats.gov.cn/tjsj/ndsj/2009/indexeh.htm>. Acesso em: 20/01/2021.

CHINA, P. R. Law of the People's Republic of China on Chinese-foreign Equity Joint Ventures. Beijing, China: Decision of the National People’s Congress of the People’s Republic of China, 1990. Disponível em: <http://www.fdi.gov.cn/1800000121_39_2447_0_7.html>. Acesso em: 05/02/2020.

FU, X.; BALASUBRAMANYAM, V. N. Township and Village Enterprises in China. Lancaster University Management School Working Paper 2002/001. Department of Economics, Lancaster University Management School, Lancaster, United Kingdom, 2002.

GABRIELE, A. Enterprises, Industry, and Innovation in the People’s Republic of China. Questioning Socialism from Deng to the Trade and Tech War. Singapore: Springer, 2020.

HOBSBAWN, E. Era dos extremos: o breve século XX: 1914-1991. Trad. Marcos Santarrita. São Paulo, SP: Companhia das Letras, 1995.

JABBOUR, E. K. A China e a economia política do socialismo. (Tese de Doutoramento). São Paulo, SP: Universidade de São Paulo - USP, 2010.

JIA, W. Chinese Foreign Investments Law and Policies: Evolution and transformation. London, UK: British Library, 1994.

JIE, W. On Deng Xiaoping Thought. Beijing, China: Foreign Languages Press, 1996.

KISSINGER, H. Ordem mundial. Trad. Cláudio Figueiredo. Rio de Janeiro, RJ: Objetiva, 2015.

_____________. Sobre a China. Trad. Cássio de Arantes Leite. Rio de Janeiro, RJ: Objetiva, 2012.

LEÃO, R. P. F. A economia política da transição chinesa no último quartel do século XX. In: IPEA. Revista Tempo do Mundo. Vol. 4, nº 3, Brasília, DF: 2012, p. 153-177. Disponível em: <http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/6121/1/RTM_v4_n3.pdf>. Acesso em: 02/02/2019.

____________. O padrão de acumulação e o desenvolvimento econômico da China nas últimas três décadas: uma interpretação. Dissertação (Mestrado) –. Campinas, SP: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Instituto de Economia, 2010.

LEE, T. V. Foreigners in Chinese Law. New York, USA; London, UK: Garland Publishing, Inc, 1997.

MEDEIROS, C. A.; SERRANO, F. Padrões monetários internacionais e crescimento. In: FIORI, J. L. (Org.). Estados e moedas no desenvolvimento das nações. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

________________. Desenvolvimento econômico e ascensão nacional: rupturas e transições na Rússia e na China. In: FIORI, J. L.; MEDEIROS, C; SERRANO, F. O mito do colapso do poder americano. Rio de Janeiro, RJ: Record, 2008.

________________. Padrões de investimento, mudança institucional e transformação estrutural na economia chinesa. In: BIELSCHOWSKY, R. Padrões de desenvolvimento econômico (1950-2008): América Latina, Ásia e Rússia. Vol. 2. Brasília, DF: Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), 2013.

NAUGHTON, B. The Chinese economy: transitions and growth. Cambridge, MA, USA: Massachusetts Institute of Technology (MIT), 2007.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO (OCDE). OECD Rural Policy Reviews, China. Paris, France: 2009.

PAULINO, L. A.; MOCELIN, L. F. Estado, sistema financeiro e desenvolvimento industrial da China entre 1978 e 2008. Revista Intellector. Ano XV, Vol. XVI, Nº 32, jul./dez, 2020, págs.73-91. Disponível em: <https://www.academia.edu/47757442/Estado_sistema_financeiro_e_desenvolvimento_industrial_da_China_entre_1978_e_2008>. Acesso em: 01/02/2021.

PIRES, M. C. Reflexões sobre os modelos de desenvolvimento de Brasil e China no alvorecer do século XXI. In: PAULINO, L. A.; PIRES, M. C (org.). China e América Latina: a geopolítica da multipolaridade. São Paulo, SP: Fundação Memorial da América Latina, 2012, pp. 63-83.

ZHU, Q; ELBERN, S. Economic institutional evolution and further needs for adjustments: Township Village Enterprises in China. ZEF Discussion Papers on Development Policy, nº 56, University of Bonn, Center for Development Research (ZEF), Bonn, Germany, 2002.

ZONENSCHAIN, C. N. O caso chinês na perspectiva do “catch-up” e das instituições substitutas. (Tese de Doutoramento). Rio de Janeiro, RJ: Instituto de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ, 2006.

Downloads

Publicado

2022-12-03

Edição

Seção

Artigos