Transtorno do estresse pós-traumático (TEPT)

relato de caso

Autores

  • Luiz Lippi Rachkorsky Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde
  • Carolina Angeli Kalaf Mussi Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde

Palavras-chave:

Transtornos de Estresse Pós-Traumáticos, Diagnóstico

Resumo

Introdução: O Transtorno do estresse pós-traumático (TEPT) decorre da exposição a 1 ou mais eventos extremamente traumáticos, ameaçadores e pavorosos que produz um intenso sofrimento e prejuízo funcional ao indivíduo. Caracteriza-se pelas lembranças ou recordações traumáticas vividas que invadem a consciência constantemente, na forma de flashbacks, sonhos ou de pesadelos. O TEPT, em geral, vem acompanhado de outras comorbidades, sobretudo da depressão maior. Apesar de bem estabelecidos os critérios diagnósticos do TEPT, algumas semelhanças com o quadro de depressão maior levam a uma generalização errônea desses casos e com isso ao subdiagnóstico dos TEPTs. O diagnóstico correto do transtorno e de suas comorbidades é essencial para um manejo terapêutico adequado e para um seguimento apropriado dos casos, reduzindo por exemplo, a cronicidade dos casos e as taxas de suicídio em decorrência do transtorno. Relato de caso: Paciente, 53 anos, sexo feminino chega à consulta psiquiátrica com quadro de tristeza e desânimo há 6 anos, desde a morte do seu filho mais velho. Vivencia situações que remetem a alguns flashbacks da perda do filho. No exame psíquico paciente apresenta uma atitude levemente ansiosa, presença de alucinações visuais na forma de vultos brancos e auditivas com pessoas estranhas e familiares (irmão) chamando o seu nome. Humor depressivo e ansioso, hipobulia, histórico de ideia suicida presente. Realizada as hipóteses diagnósticas de transtorno do estresse pós-traumático e de episódios depressivos. Discussão: Quadro clínico típico de TEPT secundário de curso crônico associado à depressão maior, provavelmente subdiagnosticado que se arrastou por um longo período de seis anos sem aparente melhora do quadro. Há indicativos clínicos que sugerem o surgimento de um quadro depressivo precedendo o surgimento do TEPT, desviando um pouco da cronologia mais comum. Conclusão: O caso relatado traz à luz da discussão o conceito atual do TEPT bem como, o seu diagnóstico, manejo terapêutico e preventivo, visando o alívio sintomático e a melhoria da qualidade de vida dos pacientes com TEPT. O diagnóstico efetivo dos TEPTs não só possibilita entender os efeitos do estresse e do trauma como também prevenir as consequências advindas deles, como por exemplo. o suicídio. O futuro dos estudos sobre o TEPT visa encontrar formas mais precisas e específicas de diagnóstico precoce, principalmente em tempos de aumento dos casos pós-pandemia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-10-28

Como Citar

Rachkorsky, L. L., & Mussi, C. A. K. (2022). Transtorno do estresse pós-traumático (TEPT): relato de caso. Revista Da Faculdade De Ciências Médicas De Sorocaba, 24(Supl.). Recuperado de https://adamo.pucsp.br/index.php/RFCMS/article/view/59647